Como Trabalhamos

Ao decidir pela aquisição de um imóvel em construção, existem duas opções de investimento disponíveis no mercado: você poderá comprar uma unidade de um empreendimento objeto de “incorporação imobiliária” pela empresa construtora; ou você poderá inserir-se em um grupo para realização de um empreendimento pelo sistema de “condomínio fechado”.
 

É muito importante que você conheça com clareza as diferenças entre uma obra de grupo fechado e uma obra de incorporação antes de fazer sua opção de investimento. Não existe uma modalidade melhor e outra pior. O que existe é uma que melhor consiga se adequar aos seus objetivos com a aquisição do imóvel, à sua disponibilidade de recursos, à sua maior ou menor necessidade de prazo para desembolso desses recursos e a uma série de outros fatores que devam ser levados em conta para sua tomada de decisão.

 

Ao longo de mais de cinco décadas de existência, a Construtora Ben acumulou significativa experiência em execução e administração de obras de edificações, atuando predominantemente no sistema conhecido como “condomínio fechado”, com contratos de “construção por administração”.

 

A Construtora Ben compreende, entretanto, que o sistema de “condomínio fechado”, a despeito dos benefícios e da flexibilidade que lhe são inerentes, não representa a melhor opção de investimento para todos os perfis. Há casos em que pode não ser conveniente para o comprador desembolsar o custo total do imóvel durante a fase de construção, necessitando de financiamento e prazos mais elásticos para aquisição do imóvel.

 

Para se adequar às necessidades de todos os tipos de clientes, a empresa tem buscado parcerias com outros agentes do mercado imobiliário, que lhe permitam abrir novos horizontes e atender a um público cada vez maior. Assim, optou por atuar também no sistema conhecido como “incorporação imobiliária”, que se faz predominantemente com os chamados contratos de “construção a preço fixo”.  

 

Condomínio fechado

Esse é o sistema no qual a Construtora Ben reúne um grupo de clientes para, sob sua coordenação técnica, comercial e jurídica, adquirir um terreno e nele edificar um empreendimento de acordo com o interesse conjunto. O capital necessário, tanto à aquisição do terreno como à execução da obra, é rateado entre o grupo, sob a administração da construtora.

 

Conceitualmente, o sistema de construção em condomínio fechado caracteriza-se principalmente por ser o condômino-empreendedor o destinatário do lucro advindo da comercialização futura do imóvel concluído. A materialização do empreendimento se faz, nesse caso, através da chamada “construção por administração”.

 

Nessa modalidade de construção, os condôminos compram ou permutam o terreno, passando a serem donos das respectivas frações de terreno. São os condôminos que, em assembléias específicas, tomam decisões sobre todas as questões que tenham impacto sobre o custo global da obra, tais como tipos de revestimentos e acabamentos nas áreas comuns, equipamentos e infraestrutura a ser instalada na edificação, bem como  acabamento padrão para as áreas internas das unidades. Além disso, é uma modalidade de construção que permite a cada condômino uma enorme flexibilidade na definição das características internas de sua unidade. Além de lhe ser facultado adotar acabamentos diferentes do padrão escolhido para a obra, ele também poderá solicitar, durante a execução da obra, modificações na divisão interna de sua unidade, bastando que arque com os custos adicionais inerentes, desde que o faça tempestivamente e que as mudanças propostas não ofereçam riscos à segurança ou à funcionalidade da edificação como um todo.

 

Construção por administração

Na construção por administração, a remuneração da Construtora Ben consiste em um percentual de todas as despesas realizadas na obra com material e mão de obra, o qual é pago regularmente pelo Condomínio à Construtora, sob forma de taxa mensal, ao longo da execução da obra. Esse sistema é também conhecido como construção “a preço de custo”, pois a Construtora é remunerada exclusivamente pelo serviço prestado de construção e de gerenciamento da obra, não auferindo qualquer lucro com a comercialização das unidades construídas.

 

Na construção por administração, a Construtora Ben presta conta mensalmente aos condôminos das despesas realizadas ao longo da obra, contas essas apreciadas e aprovadas regularmente pelo conselho fiscal eleito pelo próprio grupo. Todos os valores são pagos pelos condôminos ao Condomínio, não à construtora. Os valores pagos são corrigidos, em geral, pelo INCC (índice nacional da construção civil) ou pelo CUB/RJ (custo unitário básico da construção civil), sem correções financeiras.

 

Nessa modalidade de aquisição o condômino é o empreendedor e os lucros da comercialização do imóvel são do condômino.

 

Incorporação Imobiliária

Incorporação Imobiliária é a modalidade de empreendimento no qual o construtor adquire o terreno, financia toda a obra e comercializa as unidades a valores que reponham o custo e o remunerem com o lucro estimado para o empreendimento. Quando se faz em parceria com um agente financeiro, é possível parcelar o pagamento em prazos que transcendem largamente o prazo de entrega das chaves do imóvel. Quando a venda se dá com parcelamento, são previstos juros e correções financeiras após a entrega das chaves, que corrigem o lucro do construtor/incorporador, além de fazerem frente aos riscos da construção que é geralmente realizada a preço fixo corrigido pelo INCC (Índice Nacional da Construção Civil) da FGV.

Resumindo, nessa modalidade de aquisição você é o consumidor final de um bem e a remuneração da construtora e demais atores envolvidos na realização do empreendimento, os chamados incorporadores, se faz pelo lucro auferido na comercialização das unidades construídas.
 

Construção a preço fixo

Na construção a preço fixo, a Construtora faz levantamento de todos os materiais, bens e serviços que fazem parte da construção, quantificando os custos diretos, indiretos e acrescenta uma margem de ganho, obtendo um preço fixo da obra.  A única variação nesse valor decorre da inflação registrada pela construção civil no país, cujo índice que a representa é divulgado pela FGV, o Indice Nacional da Construção Civil, o INCC-FGV.